Diversidade e Inclusão

CONSTRUINDO UMA PREFEITURA MAIS DIVERSA E INCLUSIVA

CONHEÇA O PROJETO

“A inclusão acontece quando se aprende com as diferenças, e não com as igualdades”, afirma Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira. Conviver com as diferenças é fundamental para que possamos conhecer novos mundos e, consequentemente, adquirir novos conhecimentos. Conviver com as diferentes ideias, modos de vida e contextos é um dos primeiros passos para alcançar o respeito e a compreensão sobre o outro.

A Campanha de Inclusão e Diversidade da PMN é uma construção coletiva da Escola de Governo e Gestão (EGG), vinculada à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão (SEPLAG); da Secretaria Municipal de Direitos Humanos (SMDH); da Secretaria Municipal de Acessibilidade (SMAC), a Coordenadoria de Defesa dos Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (CODIR) e da Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (CODIM).

A proposta é transmitir a todes que fazem parte da Prefeitura Municipal de Niterói a ideia de que o respeito às diferenças é um valor da nossa administração, pois lidamos diariamente com uma sociedade diversa e plural. Com essa compreensão, conseguimos abranger especificidades e atuar de forma humanizada para atender os anseios da população niteroiense.

Apresentamos aqui conceitos básicos sobre as temáticas de diversidade e inclusão, assim como práticas que devem ser abolidas e condutas que podem ser adotadas no enfrentamento de preconceitos e discriminações de todos os tipos. Assim, esperamos tornar a Prefeitura de Niterói um ambiente em que todas as pessoas se se sintam integradas e valorizadas por serem únicas.

Em uma democracia, é necessário prezar pelo reconhecimento das diferenças da sociedade, a quem servimos, e considerar interesses e necessidades de todas as pessoas. Valorizar a diversidade dentro do nosso espaço de trabalho é o primeiro passo para uma gestão pública eficiente e representativa. Esse entendimento contribuirá para que você possa atender da melhor maneira possível às necessidades e os direitos da nossa população.

CARTILHAS

As cartilhas são um material de apoio aos servidores, pois possuem ações que podemos adotar para fazer a diferença, conceitos que precisamos rever e outros locais e conteúdos para se aprofundar mais em determinadas questões. 

Todos esses conhecimentos são fundamentais para que as pessoas que trabalham na Prefeitura de Niterói compreendam sobre diferentes temas de diversidade e inclusão, a fim de que possamos ampliar os nossos conhecimentos e tornar toda a administração municipal em um ambiente de trabalho mais acolhedor e inclusivo.

Usar ou não usar termos técnicos corretamente não é apenas uma questão semântica ou sem importância. Para falar ou escrever numa perspectiva inclusiva, adotar a terminologia correta é especialmente importante, sobretudo quando abordamos assuntos tradicionalmente repletos de preconceitos, estigmas e estereótipos. A mudança de atitude começa com pequenas ações!

CANAIS DE DENÚNCIA

Racismo e Homofobia

As denúncias podem ser feitas pelo 190 (número da Polícia Militar) e pelo Disque 100 (Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos).

Os casos devem ser encaminhados à Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que está vinculada ao Departamento Geral de Polícia Especializada da Polícia Civil, além de estar inserida no programa Delegacia Legal, no Rio.

A Decradi está na Rua do Lavradio, 155 – Lapa, Rio de Janeiro, RJ. Telefone: (21) 2333-3509

Endereços e telefones úteis:

Av. Rio Branco, 147, 12º andar, Centro, Rio de Janeiro, RJ

Telefones: (21) 2332-6186 ou (21) 2332-6344

Avenida Marechal Câmara, nº 314 – térreo, Castelo, Rio de Janeiro, RJ

Ligação gratuita para o número de telefone 0800 282 2279

Atendimento online:

http://www.defensoria.rj.def.br/Cidadao/Ouvidoria-Fale-conosco

Telefones: (21) 21334-8823 ou (21) 2334-8835

Atendimento online: https://cacpcerj.pcivil.rj.gov.br/

Av. Marechal Câmara, 370, 3º andar, Centro, Rio de Janeiro, RJ

Telefones: 127 (dentro do Estado do Rio de Janeiro) ou 2262-7015 (de qualquer lugar)

Atendimento online: http://www.mprj.mp.br/comunicacao/ouvidoria/formulario

Violência contra mulher

Em uma situação emergencial: disque 190.

É o número de telefone da Polícia Militar que deve ser acionado em casos de necessidade imediata ou socorro rápido.

Rua da Relação, 42 – 11º andar – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20231-014

Telefones: 2334-9749 / 2334-9814

A PCERJ utiliza a tecnologia para melhor atender a população. A mulher vítima de violência, com 18 anos ou mais de idade, pode registrar seu Boletim de Ocorrência pela internet. Clique aqui e conheça o serviço:

https://delegaciaonline.pcivil.rj.gov.br/

Na Delegacia da PCERJ da localidade ou na DEAM – Delegacia de Atendimento à Mulher, nas cidades que contam com esta especializada. Confira os endereços aqui:

http://www.policiacivilrj.net.br/atendimento_a_mulher_unidades.php

A Central funciona 24h por dia, todos os dias da semana, e presta escuta e acolhida às mulheres em situação de violência. O serviço é gratuito e registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.

O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros países.

Dá para denunciar pelo site da Ouvidora Nacional dos Direitos Humanos, do Governo Federal através do link: https://www.gov.br/mdh/pt-br/ondh.

Caso a vítima precise de uma medida protetiva, ela pode solicitar por meio do aplicativo Maria da Penha Virtual, pelo telefone, no número 197, ou ir até uma defensoria pública.

Realização:

Inscrições pendentes
Rolar para cima
Pular para o conteúdo