Estação EGG | Junho 2023

Olá!

Você sabia que Niterói possui uma plataforma que integra diversos dados importantes para a gestão pública da nossa cidade?  

Estamos falando do Sistema de Gestão da Geoinformação (SIGeo), que disponibiliza aplicações, mapas e estatísticas geoespaciais que facilitam a visualização de várias características de Niterói. Esses dados são fundamentais para a elaboração de políticas públicas e na tomada de decisão dos gestores do município. 

O sistema representa uma modernização para a administração pública municipal ao fornecer, com maior precisão e transparência, informações da evolução urbana da cidade. Vamos conhecer mais sobre esse importante instrumento? 

Vamos lá?

O QUE É O SIGEO?

Antes de aprofundarmos nossos conhecimentos sobre o SIGeo, precisamos entender o que são dados geográficos ou dados georreferenciados e a sua importância para a gestão pública. São dados em que a dimensão espacial está associada à sua localização na superfície da terra, num determinado instante ou período de tempo. A jornalista Heloisa Fischer, que também é especialista em Linguagem Simples no Brasil, diz que essa maneira de comunicar “considera o público a quem a comunicação se destina para organizar as ideias, escolher as palavras mais familiares, estruturar as frases e determinar o design”.

Assim, realizar uma gestão de dados geográficos envolve coletá-los por meio de ferramentas tecnológicas, e transformá-los em informações úteis para a tomada de decisões. Essa gestão também é fundamental para ampliar o entendimento sobre o espaço urbano e apoiar ações de planejamento urbano e regional, transportes, divisão dos serviços públicos na cidade, entre outros. De acordo com Heloisa Fischer, o termo compreende dois pontos principais: uma técnica de comunicação e uma causa social. Em relação à técnica de comunicação, a Linguagem Simples envolve um conjunto de práticas que visam transformar textos robustos em leituras mais fáceis de entender. Isso envolve, por exemplo, escolha das palavras, das frases e estruturação de parágrafos.

Pensando nesses pontos, a prefeitura de Niterói criou, por meio do Decreto 12.947 de 2018, o SIGeo, que tem o objetivo de: 

  • promover a integração dos dados produzidos e disponibilizados pelas secretarias;  
  • simplificar fluxos de trabalho, incluindo a geração de relatórios gerenciais;  
  • permitir uma visualização integrada e georreferenciada dos dados da cidade, e o monitoramento de dados estratégicos; 
  • ampliar a eficácia, eficiência e efetividade nas tomadas de decisões estratégicas do Município;  
  • ampliar a transparência e o acesso à informação pela população, inclusive por meio de dados abertos, com a disponibilização dos dados públicos que compõem o SIGEO.
Para a execução desses objetivos, o sistema está dividido em três plataformas: 

O site do SIGeo: disponibiliza todas as informações adicionais do sistema, acesso ao link das plataformas e download de toda a base aerofotogramétrica e perfilamento à laser, obtidos para aproximadamente 140km² de todo o território Municipal de forma gratuita em altíssima resolução.  

O SIG-Web Civitas: visualizador web público das informações do banco de dados do município para realizar consultas de diferentes dados espaciais, executar algumas ferramentas mais simples de análise geoespacial e exportar mapas do conteúdo exibido. 

O Portal de Dados Abertos: possibilita consultar algumas estatísticas do município, acessar diferentes aplicações desenvolvidas, fazer o download das camadas do nosso banco de dados e consultar as informações disponibilizadas para viabilizar a integração com outros sistemas. O termo “dados abertos” são dados primários produzidos pelo Poder Público e disponibilizados na Internet para acesso e uso livre pelos cidadãos. 

Apresentação: O papel do SIGeo no apoio à transformação digital no município de Niterói

Apresentação do Sistema de Gestão da Geoinformação da Prefeitura Municipal de Niterói e seu papel no fomento à utilização de geotecnologias pela administração pública e na garantia de transparência das informações ao público. 

Palestra: O papel da Geoinformação para os Órgãos de Controle

A palestra faz parte da 3ª edição do programa Políticas Públicas do Tribunal de Contas do Estado da Bahia. Com mediação da auditora de contas públicas do TCE/BA, Morgana Bellazzi, a live contará com a participação de Fábio Lima Sampaio, coordenador de cartografia e geoprocessamento da Diretoria de Informações Geoambientais da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI/SEPLAN), e do presidente da Comissão de Geodireito da OAB/SP, Luiz Ugeda. 

Podcast: Um papo sobre geotecnologia

O podcast recebe convidados para debater a aplicação da geotecnologia em diversas áreas, como meio ambiente, agricultura, transformação digital em governos, cidades inteligentes, entre outros assuntos.  

Artigo: Geoinformação para governar melhor

O arquiteto de soluções da imagem Alessandro Diniz fala sobre os benefícios da geoinformação para a gestão pública, como nos processos de matrícula escolar, que consideram a localização geográfica como critério na distribuição de vagas, ou ainda para a realização de um pedido de liberação do alvará de construção pela Web, sabendo quais serão os critérios de avaliação. 

Curso: Geoinformação na SPU – conceitos, fundamentos e tecnologias

O curso oferece ao participante um conjunto de conhecimentos sobre conceitos, fundamentos e tecnologias que a Secretaria de Patrimônio da União vem utilizando e implementando para gestão de dados geoespaciais dos imóveis e áreas da União. Apesar de apresentar um contexto do governo federal, o curso é voltado para o público iniciante que deseja iniciar o conhecimento sobre a natureza, obtenção, produção e organização desses dados e informações em ferramentas de sistemas de informações geográficas para a produção de mapas temáticos. 

Curso: Análise de dados como suporte à tomada de decisão

O curso abordará a importância da utilização de dados analíticos pelos gestores e servidores públicos tomadores de decisão, bem como a forma de obtenção e utilização de dados estratégicos. 

Material: Curso de auxiliar de geoprocessamento

O material tem o objetivo de preparar o aluno para usar melhor os seus dados geográficos. Ele tem como foco os usuários iniciantes de sistemas de informação geográfica, mas poderá ser de grande utilidade para todos aqueles que ainda não se sentem confiantes na utilização de banco de dados geográficos. 

Material: Geoprocessamento aplicado ao planejamento

O GeoLab, da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), disponibiliza uma série de materiais sobre ciência da geoinformação, geoprocessamento, estrutura de dados, entre outros assuntos úteis ao estudo da gestão da geoinformação.  

Esperamos que você aproveite ao máximo cada conteúdo indicado nessa edição do Boletim Estação EGG sobre o Sistema de Gestão da Geoinformação de Niterói! 

No próximo mês, a EGG e o LabNit trarão mais dicas, oportunidades e indicações especiais para ampliar a sua bagagem profissional!  

A EGG e o LABNIT estão à disposição para receber dúvidas, sugestões ou críticas! A sua colaboração é fundamental para que possamos melhorar todos os nossos projetos e processos! 

PARA NÃO PERDER NENHUMA NOVIDADE, ACOMPANHE NOSSAS REDES SOCIAIS!

Inscrições pendentes
Rolar para cima
Pular para o conteúdo